É Natal...



Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu... E, vindo, evangelizou paz...



O Natal é uma época atípica! Tanto crianças quanto adultos ficam entusiasmados e fascinados com os preparativos.



O materialismo e o consumismo campeiam livremente. A tudo isso se chama de ‘espírito do Natal’. O ‘espírito do Natal’, conforme é concebido pelo mundo, é na realidade, uma sensação, via de regra, desagradável, o que explica as comemorações regadas a muito champanhe, vinho, assados, frutas importadas, presentes, decorações e vestes pomposas. Imagino que tudo isso, revela uma tentativa inconsciente de, pelo menos por uma noite, construir outra realidade, onde reinam a paz e a felicidade.

Como Igreja de Deus, devemos restaurar o verdadeiro sentido (‘espírito’) do Natal. O amor que levou Jesus a deixar o esplendor de Sua glória, a Si mesmo se esvaziar, assumir a forma de servo, tornar-se homem, assumir a cruz e levar sobre si as nossas enfermidades, precisa ser restaurado em nosso meio e aquecer profundamente os nossos corações.

Como Igreja de Deus, precisamos proclamar, que a promessa se cumpriu, “um menino nos nasceu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome é: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz, Senhor e Salvador”.

Como Igreja de Deus, entendemos e declaramos que Jesus Cristo, a verdadeira razão do Natal, é a única esperança para a humanidade. A paz, sugestionada pelo ‘espírito do Natal’, só se torna real e verdadeira, quando Cristo nasce no coração do homem.

Natal é tempo de plantar e de colher!
Natal também é tempo de agradecer!

Assim, aproveito a oportunidade para agradecer, de coração, as orações e a cooperação de todos ao longo do ano e oro ao Deus Pai, para que a graça e o amor de Jesus Cristo, a verdadeira razão do Natal, sejam multiplicados sobre toda a família presbiteriana, tornando o ano vindouro pleno de realizações!

Saúde e paz!
Do servo,Rev. Roberto Brasileiro Silva
Presidente do Supremo Concílio daIgreja Presbiteriana do Brasil

Postar um comentário