O CRISTO ESQUISOFRÊNICO


O CRISTO ESQUISOFRÊNICO


Pergunta: Você disse que Jesus é a chave hermenêutica a partir da qual você lê a Bíblia. E também que Jesus é a chave para entender as Palavras de Jesus? O que você quer dizer com isto?

Resposta: Não há o que Jesus disse e o que Jesus fez. Há um só Jesus! A diferenciação entre os ensinos de Jesus em relação a quem era Jesus e como Ele viveu, tem sido uma das maiores desgraças da história da interpretação! OVerbosefazcarne!--assim, tudo juntinho! Ficou assim: inseparável!

Donde se conclui que:

01. Deve-se ler existencialmente a Bíblia como tendo seu espírito realizado em Cristo. Ele veio para cumprir tudo. Cumpriu? Sim! Está consumado! Mas cumpriu de uma maneira legal-aos-sentidos? Não! Prova disso que o cumprimento da Palavra em Jesus era justamente aquilo que os mestres da Lei em Seus dias chamavam de transgressão. Assim, há um espírito até na Lei. Jesus cumpriu esse espírito, não suas materializações!

02. Deve-se ler as "falas" de Jesus e não somente fazer (quando se faz) exegese do texto. Antes disso, deve-se perguntar: qual o significado desse ensino de Jesus para Jesus? E a resposta é uma só: veja como Ele lidou com a vida, com as pessoas, com os fatos! Conferindo uma coisa com a outra fica-se livre da construção de dois seres irreconciliáveis: o Jesus que viveu cheio de amor e graça, e o Jesus que ensinou coisas que só os interpretes autorizados conseguem “captar”.

03. Desse modo, então, não se faz jamais uma interpretação textual que não coincida com o comportamento e com a atitude de Jesus na questão, conforme o Evangelho. Eu confiro tudo com o espírito de Jesus, conforme o Evangelho.

04. Só assim Jesus não fica esquizofrênico ante os nossos sentidos: o que Ele disse, Ele viveu; e o que Ele viveu, é o que Ele disse. Assim, em Cristo, é a Vida que interpreta a Palavra! Em mim é o contrário: a Palavra me interpreta a vida! Em Jesus é Sua Vida que interpreta a Sua Palavra. Portanto, quem desejar entender a Palavra para si, veja como Jesus tratou as pessoas. Só assim eu me livro de que a interpretação da Palavra de Jesus se torne divorciada da Encarnação da Palavra em Jesus. E também só assim não são criados dois Jesus: um cheio de Graça e um outro em quem as falas não coincidem com Sua atitude histórica. Donde se conclui que há um só Jesus, porém, muitos outros criados pelas escolas teológicas!

Caio Fábio de Araújo Filho

Fonte/Link: http://www.caiofabio.com/2009/conteudo.asp?codigo=00897



Postar um comentário