Masturbação e culpa

Masturbação e culpa...
Ricardo Gondim

Peço incarecidamente que o Sr. responda. Pastor, sou casado tenho XXXX anos. Tanto eu como minha esposa somos convertidos, eu amo minha esposa demais, mas não consigo parar de trair ela em pensamentos... Tenho o vício da masturbação, não consigo me livrar deste vício, estou em comunhão com minha igreja e tento buscar ser mais santo, meus colegas de trabalho me chamam de pastor, alguns deles se converteram. mas minha busca por santidade esbarra no meu pecado, não sei como livrar-me dele, e ele me acusa, minha esposa me acha um super crente e sinto que as pessoas tem super espectativas por mim... Mas o meu pecado me acusa e me separa de Deus, tenho vergonha de orar. por favor me ajude, canci de ler silhões de livros e não tenho intimidade com nenhum líder religioso para me abrir desta forma e para ser verdadeiro meu nome não é xxxxx. Desculpe. Espero de todo o meu coração que o senhor me responda


Meu querido irmão,

Sei de sua luta e me solidarizo com você. Vou tentar ajudar.

1. A masturbação acontece na adolescência como um processo normal de descoberta do sexo. Naquele período, nossos hormônios começam a nos tirar da infância e nos levar para a vida adulta. Quando digo um processo normal é porque a esmagadora maioria dos rapazes se masturbam (os estudiosos avaliam e 98%). 



2. Quando os jovens não sabem lidar com esse florescimento da libido sexual devido a repressão religiosa, preconceito familiar e falta de informação, a prática da masturbação passa significar um pecado. O sexo então perde o elemento mais bonito dele que é a relação com a parceira. A pessoa fica inibida de se imaginar amando uma pessoa e prefere praticá-lo na solidão. 



3. Adultos que se masturbam, mesmo casados, têm um problema relacional profundo. Insisto: antes de ter um problema com a masturbação, você carrega um problema relacional. Disso eu tenho certeza. Você não se entrega totalmente à sua esposa. Você se dá a ela parcialmente. Sugiro que procure ajuda de um psicólogo. Ele lhe ajudará a sair de uma adolescência relacional.



4. Sua imaturidade sexual não é simplesmente um pecado. É um distúrbio emocional. Você não precisa apenas de arrependimento, mas de cura. Essa cura virá com oração, mas também precisará de ajuda profissional. Há bons psicólogos que podem ajudar-lhe – a psicologia é um presente de Deus. 

Conte comigo,

Ricardo Gondim

Postar um comentário