Carta aberta aos jogadores (e aos torcedores) do Corinthians.


Atletas, Comissão Técnica, Diretoria e Nação Corinthiana,

Como dizem por aí, sou apenas mais um louco do bando. No entanto esse “apenas” significa demais pra mim. Nos meus quase 30 anos de idade, o grito de torcida que mais mexeu comigo é o “Corinthians minha vida, minha história, meu amor”. No meu caso, isso vale 100%. Por isso me sinto no direito de escrever essas palavras que vem a seguir.

“Sabe, eu nasci corinthiano, podes crer eu não me engano, já virou obsessão. Desde que eu me entendo por gente coloquei na minha mente, sou fiel, sou coringão. Não adianta vir fazer minha cabeça, aconteça o que aconteça, bato o pé, não abro mão.” – sábia letra de música que em poucas palavras é capaz de resumir um sentimento tão sublime. Sublime e sem limites. Ao ponto de gritarmos em uma única voz que NUNCA VAMOS ABANDONAR nossos guerreiros.

Perdemos a primeira batalha, MAS NÃO VAMOS PERDER A GUERRA. NÃO PODEMOS! É preciso que haja uma união digna de nossa história, de nossa paixão. Que juntos, lutemos por um único ideal. AS QUARTAS DE FINAL.

Felipe, se você retornar, jogue como jogou em 2007. Feche o gol. Lembre-se da sensação que sentiu ao voar na torcida após a vitória contra o Ceará na segunda divisão. Você sabe o que é Corinthians. Não deixe a bola passar em hipótese nenhuma. Volte pra falar na sala de imprensa, novamente com seu filho ao lado, como herói. Pro seu menino saber que seu pai fez história.

Júlio César, se for você, a chance é de ouro. Olhe para trás, veja tudo que passou. Você é muito Corinthians! Mesmo com toda a pressão sua defesa na cabeçada do Adriano nos trouxe vivos para o jogo de volta. Eu confio em você, cara!

Moacir, que boa surpresa você é. Não ligue para o penalti, isso acontece com qualquer um. Você cometeu pois estava lá, brigando o tempo todo. Que potencial você tem, moleque! Sua história sofrida, sua família torcendo por você em Pernambuco. Lembre-se disso a cada dividida, a cada investida no ataque. Você sairá vencedor, podes crer.

Alessandro, você é o representante do espírito guerreiro. Caso você volte precisaremos de você no melhor dos seus momentos. Aquele lateral que marca demais e quando vai ao ataque toca de lado e corre pra receber. E que quando domina faz um sassarico danado na área do adversário. Foram tantas jogadas de gol até hoje não é mesmo? Faça valer seu passado com nosso manto no presente. Pois precisamos de você no futuro da competição.

Chicão, você é o cara! Pra você não preciso dizer nada. Seja o que foi na partida do Maracanã. O que foram aqueles carrinhos? Seguros e raçudos! Quero muito ver você chamando os jogadores pra si, mordendo nosso escudo ao marcar mais um gol. Vai acontecer!

William, ah capitão! Sua calma e serenidade precisam de uma pitadinha de “sangue nos zóio” no próximo jogo. Precisa manter a rapaziada ligada no 220volts o tempo todo. Não tem bola perdida. O time precisa agir como se estivesse perdendo de 1×0 aos 35 do segundo tempo. Na atitude, é claro. Tem que sufocar. Não tem que ter contra-ataque. Não pode deixar. É sufoco, sufoco, sufoco. São os 90 minutos mais importantes da nossa história.

Robertão, aqui na Rádio quando te entrevistei ainda na Turquia eu fui um dos poucos que bancou que você arrebentaria por aqui. Mas juro, não imaginei que você jogasse tanto. Você é um monstro! Mas chegou a hora de esquecer tudo que você ganhou no passado. Champions, Ligas Européias, Copa do Mundo, acabou! Você jogará como se a partida contra o Flamengo fosse a primeira oportunidade de conquista na sua vida. Seus chutes serão potentes como nunca. A marcação a melhor de todos os tempos…

Ralf, no dia que você se apresentou conversei com o Douglas, companheiro de rádio e tivemos a mesma sensação: o cara vai arrebentar! Faça tudo como vem fazendo, com a raça habitual que no final será recompensado.

Jucilei, essa é sua hora. Você é o cara desse meio campo. Corra atrás de todas as bolas. Marque como se fosse o Ralf e apoie como se fosse o Elias. Você é o principal jogador do esquema tático, é o que faz com que ele funcione a perfeição. Precisamos que tenha a dedicação costumeira mas acima de tudo 100% de atenção em todos os momentos.

Elias, é hora de fazer a maior partida da sua passagem pelo Timão. Você tem uma categoria invejável. Um pulmão incansável. Precisamos disso como nunca! Esqueça a Europa, o que já fez por aqui. Vá por mim, o próximo jogo é mais importante do que qualquer coisa que você já tenha feito ou vivido por aqui. Quero o Elias do jogo do Racing, aparecendo a todo momento, se livrando da marcação pelo excesso de movimentação. Lembre dos tempos de várzea, de tudo que você precisou para chegar aqui. Você diz no seu vídeo da nike: “Eu sou assim, eu sou o cara! Sou predestinado!” – Só que treinar adianta meu velho, então treine muito. Rala que rola!

Danilo, você é novo por aqui. Não sei se entendeu bem ainda o que é ser Corinthians… Lembra daquele Corinthians x Palmeiras do começo da temporada? Ali você foi atacante, zagueiro, lateral esquerdo, atacante. Vibrou com o time, com a torcida. É isso que você precisa fazer quarta. É o que queremos. Tire uma vibração e uma energia que talvez não seja nem de sua personalidade. Mas seja, de uma vez por todas, Corinthians.

Dente, você não precisa ouvir nada. Você é do terrão, viveu o rebaixamento, renasceu na subida, é o artilheiro da “era Mano”, fez o gol 10.000 e vive uma fase incrível. Continue igual e marque gols, quantos forem possíveis.

Ronaldo, meu velho, o papo agora tem que ser reto. Respeito tudo que você fez no seu passado no futebol, seu potencial comercial e coisa que o valha. Mas Fenômeno, AQUI É CORINTHIANS! Aqui não tem bola perdida, aqui não tem migué. Não tem jogador que não se movimenta, que não disputa todas as bolas. Não adianta aparecer na frente das câmeras porque tem as costas quentes. Eu quero ver você resolvendo no campo. Você tem que COMER GRAMA, arriscar mais, partir mais pra cima. Se é assim que vamos contar com você, com pouca mobilidade, encare cada lance como se fosse o único. Não espere uma segunda chance. Você é o retrato do time, é o homem mais visado. Se seus companheiros percebem que os adversários não te respeitam, que você está pregado lá na frente, isso reflete nos outros dez. NÃO DÁ MAIS. Resolva, ressurja mais uma vez das cinzas.

Mano, sou seu mano. Confio demais no seu trabalho e no seu potencial. Mas acho que você já sabe que quarta-feira não vai dar só na tática e na técnica. Acima de tudo terá que ser coração. Esses caras vão ter que entrar com a faca nos dentes. A torcida vai fazer seu papel. Eles precisam estar pilhados e conscientes. Brigar por todos os lances, com raça e inteligência. Não é pra bater, é pra não deixar jogar. Não é pra ficar com a bola no pé sem saber o que fazer, é pra tocar, girar o campo e abrir os espaços. Você é o cara que vai nos trazer essa Libertadores. Eu sei o quanto você quer a copa. Confio em você!

Nação Corinthiana, quarta a festa tem que ser algo nunca visto. Não podemos parar de gritar com força um segundo sequer. Não dá. Não pode. Exigiremos do time toda a dedicação mas precisamos apoiá-los incondicionalmente o tempo todo. Gritar, gritar, gritar, vaiar o adversário sempre que estiver com a bola. Tem que ser um caldeirão absurdo, algo que o Pacaembu em seus 70 anos de história nunca viveu. Arquibancada, Laranja, Tobogã e Numeradas numa só voz. No grito de Corinthians. Não pode parar. Somos parte fundamental no processo e a vitória também depende de nós. Na apreensão não pode haver silêncio. O grito simplesmente precisa ser mais forte. Vai, Fiel. Cante, empurre e não pare nunca.

Eu farei minha parte, e você?

VAI PRA CIMA DELES!!!

MAIS DO QUE NUNCA, VAI CORINTHIANS!


Fonte: http://blogdotaves.wordpress.com/2010/04/29/carta-aberta-aos-jogadores-e-aos-torcedores-do-corinthians/

Postar um comentário