A Melhor Forma de Governo em Políbio

A Melhor Forma de Governo em Políbio

Políbio diferia das visões de Platão e Aristóteles. Ele defendia que um mau governo era substituído por um bom governo, e este bom por um mau, e assim sempre alternando, mas pendendo para baixo.

Todavia sua visão da história em relação aos governos é cíclica e não fatalista.

Os maus governos eram: tirania, oligarquia e oclocracia.

Os bons governos eram: monarquia, aristocracia e democracia.

Para Políbio nenhum destes bons governos de forma exclusiva seria a melhor forma de governo.

Para ele a melhor forma de governo não era também um governo misto qualquer, mas um governo misto equilibrado, a saber: monarquia (reis e nobres), aristocracia (os senadores) e a democracia (o povo, a plebe).

Um governo onde não houvesse total autonomia de uma destas formas sobre a outra, e sim uma “fiscalização/controle” de um para o outro.

Embora entendesse que tal governo misto equilibrado (junção dos bons governos) fosse a melhor forma de governo Políbio sabia que era um governo temporal e não perene.

Assim como a ferrugem ao ferro e a traça a madeira, ou seja, esta forma de governo só retardaria a degeneração, ele seria mais duradouro, mas não seria perene.

Políbio dava ênfase às instituições.

João Vicente Ferreira Neto
Postar um comentário