PASTOR, ACHO QUE ESTOU FICANDO TARADO! - Parte II

Resposta:

Meu querido amigo: Paz e Força!

Sua carta é a confissão de Romanos 7, e de um ser que ainda não andou até Romanos 8.

Você está na angustia da religião, e que procura agradar a Deus por conta própria. Por isto sua alma grita em contínua aflição: “Desesperado homem que sou!”

No entanto, o caminho continua, e prossegue para a pacificação do ser na Graça de Jesus, e faz o coração saber que “já não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus”.

A questão é que esta é nossa condição real...

De um lado, em nossa natureza, experimentamos estranhas pulsões, e que crescem com o volume enorme de indução sensual que existe à nossa volta, e que é o único “ar envenenado” que muitas almas respiram.

De outro lado, temos a realidade de que estamos justificados pela fé em Cristo.

O que está faltando, então?

Falta você ser honesto com sua queda, e saber que de si mesmo você não tem como agradar a Deus.

Falta você crer que Jesus já agradou a Deus por você.

Falta você descansar na justiça de Jesus que está sobre todo aquele que crê.

E falta você, sem agonia e culpa, começar a buscar o “novo pendor”, a nova “inclinação”, e que é vida e paz.

Então você me diz: Mas como é isto?

Ora, você mesmo já viu que religião e regras de conduta e devoção não realizam nada como bem para o homem interior.

Ao contrário, tais coisas, em si mesmas, dada a sua natureza presunçosa, moralista, legalista e cheia de justiça própria, apenas aumentam o volume de energia psíquico-espiritual negativa dentro do indivíduo, posto que pela Lei vem o pleno conhecimento do pecado.

Desse modo, quanto mais Lei, mais pecado. E quanto mais desejo de agradar a Deus pelo cumprimento da Lei, mais angustia, culpa, neurose, e, pulsões taradas brotam do coração.

Postar um comentário