Os meninos e os vovôs!

Quando Te Vi (Till There Was You)

Beto Guedes

Composição: Lennon / McCartney (Versão: Beto Guedes)

Nem o sol; NeYmar; Nem o brilho Das estrelas...
Tudo isso; Não tem valor... Sem ter você...

Sem você... Nem o som, Da mais linda Melodia...
Nem os versos Dessa canção Irão valer...

Nem o perfume, De todas as rosas...
É igual, À doce presença, Do seu amor...

O amor estava aqui, Mas eu nunca saberia
Do que um dia se revelou; Quando te vi...

Nem o perfume; De todas as rosas... É igual...
À doce presença, Do seu amor...

O amor estava aqui, Mas eu nunca saberia
Do que um dia se revelou; Quando te vi...

Fonte: http://letras.terra.com.br/beto-guedes/44546/

Um jogo para não ser esquecido.

Dadas as polêmicas que norteavam o clássico, o que vimos foi os meninos da vila correrem, correrem e correrem, enquanto o pessoal do INSS como disseram do timão deram aula.

Um Neymar que jogou o que pode e o que teve condições de jogar, afinal quando o Jucilei encostou no garoto fim de jogo para Neymar. Nada também que duas entradas fortes, a primeira pelo Boquita (horrível em campo, exceto neste lance, embora eu seja contra a violência), e a segunda pelo Paulo André que intimidou de vez o menino.

O lado positivo é que o Neymar apesar de tímido hoje jogou com seriedade e serenidade. Respeito aos seus companheiros e também os adversários.

No jogo vimos o selecionado do Santos dando pressão até os 10 minutos do 1º tempo, e depois disso só deu Corinthians. Sem tirar os méritos do Peixe, os dois gols do time da Vila foi por pura deficiência defensiva do time corinthiano. Durval abriu o placar com menos de 2 minutos, em grande e linda jogada de Jucilei o Corinthians empatou em seguida. Melhor em campo o time do Parque São Jorge perdeu grande chance de virar com Bruno Cesar que perdeu uma oportunidade incrível frente a frente com o goleiro.

Conseqüência... Em forte contra ataque o Santos chegou ao segundo gol em rebote de Julio Cesar (que fez brilhantes defesas no 2º tempo) que caiu nos pés do Neymar. Em bela movimentação após retomar o equilíbrio do jogo o Corinthians chegou ao empate em belo passe de Bruno Cesar para Elias que acertou um eficaz chute no gol santista.

No 2º tempo o Santos correu mais, criou mais e tentou mais, mas pagou caro com a qualidade de toque de bola, e com a maturidade/experiência do elenco corinthiano que em momento crucial da etapa final em bela jogada tramada mais uma vez passando pelos pés de Jorge Henrique, Iarley e Roberto Carlos, Danilo recebeu em posição irregular e tocou na cabeça de Paulo André que definiu mais uma vitória do timão e a liderança isolada com um jogo a menos.

Um timão aplicado que jogou com a faca nos dentes. Um meio de alto nível e grande qualidade. Mesmo desfalcado soube se portar como um campeão.

Ao Santos e aos seus torcedores, e aquela diretoria de incompetentes só resta cantar: Nem o sol; NeYmar; Nem o brilho Das estrelas... Tudo isso; Não tem valor...”. Pois os vovôs do timão deram conta do recado!

1 comentário