É proibido


É proibido

Pablo Neruda
É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.
É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,
Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos
Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,
Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,
Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,
Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,
Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,
Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,
Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.




Partilho com vocês esse belíssimo poema desse magnífico poeta chileno. Pablo Neruda morreu em 23 de setembro de 1973, vítima de câncer de próstata na Clínica Santa Maria de Santiago (Chile). Sua delicadeza humana, sua doçura poética e sua grandeza profética, ressuscitam esperanças. Seus textos pulsam com sentimentos; sua pena verte lágrimas; seu amor se derrama intenso, sofrido, infinito, eterno. Minha oração a Deus, que ele levante urgentemente mais poetas, mais artistas, mais sonhadores, capaz de nos inspirar a sonhar com um mundo mais bonito, mais pleno de ideais e mais próximo do reino de Deus; que não se resume a comida e bebida, mas, é, entre outras coisas, alegria.
Marcelo Gomes dos Santos!
(e-mail recebido de um amigo)
Postar um comentário