O KARMA DA NÃO GRAÇA


O KARMA DA NÃO GRAÇA

Há anos li no livro do querido Yancey (Maravilhosa Graça) um tal de ciclo da não-graça, que nada tem a ver com maldição hereditária nem com a teologia da prosperidade, urdidas nos quintos do inferno e hoje um mal irreversível da igreja evangélica, que prefere crer nessa "balela" do diabo.

Mas não é sobre religião que eu quero falar e sim sobre o ciclo da não-graça que abraça tantas famílias e destrói as relações. Religião, para mim, já encheu o saco. Tenho medo até de ficar com hidrocele de tanto saco cheio.

Essa coisa da não-graça se perpetua por geraçãoes. Yancey chamou a atenção dos leitores de seu livro que pessoas e famílias vivem okarma do ciclo da não-graça. Ele não usa a palavra Karma. Faço uma concessão. É claro que não existe karma! Se houvesse, eu seria o mais insignificante de todos os seres iluminados.

Porém, voltando ao que realmente interessa, há pessoas e famílias que vivem sob o signo da desgraça. O ciclo da não-graça consegue fazer com que as pessoas vivam vidas miseráveis e, com elas, acostumem-se de tal maneira, que não sabem viver nenhuma proposta de vida, senão a da desgraça, pois, se a dor não estiver presente, algo tem de ser feito para recriar a miséria, a dor, a desgraça e o medo.

Enfim, as pessoas que assim escolheram viver não somente estão destruindo as suas almas, mas também as almas daqueles que convivem ou são obrigados a viverem com elas.

Esse ciclo da não-graça precisa ser rompido, pela graça da reconciliação, do perdão, do amor, da verdade, da transparência, da humildade, da mansidão, em fim a partir de um olhar diferente para a vida, não como um karma que nos aprisiona ao ciclo da não-graça, mas na perspectiva da própria graça que nos faz vislumbrar a beleza da vida que Deus criou apesar de tantas agruras e aflições.

Quebre o ciclo da não-graça para não se acostumar com a miséria e a desgraça desta vida e das que você mesmo fabrica.

Em nome de Jesus.

1 comentário