Prisão Pollsmoor - Crescendo em graça... III

Update on Thursday, April 28, 2005 at 11:12AM by Inyoka

Adam foi o primeiro a falar. "Estou aqui cumprindo uma pena máxima e mais 38 anos", disse ele. "Eu fiz um contrato para matar minha mulher, e os assassinos me dedaram. Sei que errei, e por meio do programa de justiça reparadora de Joanna estou tentando me reconciliar com os parentes dela. Provavelmente nunca vou sair daqui. Mas, sabe, eu de fato agradeço por estar aqui, porque foi aqui que encontrei a Deus, graças a Joanna e a Julian. Quero passar o resto da vida servindo a Deus, do jeito que puder".

John falou em seguida. "Estou na gangue X26. Participei de um estupro da gangue de garotas de cartoze anos de idade. Tenho três penas máximas a cumprir consecutivamente. Como o meu irmão aqui, é possível que eu também nunca saia daqui. Como ele, quero me dedicar ao Senhor e tentar redimir o tempo que vou passar aqui. Quero viver para Deus".

Enquanto eles falavam, olhei para as paredes atrás deles. Pornografia e lemas de gangues decoravam a maior parte das celas. Aqui, numa letra caprichada, alguém havia gravado letras de hinos de louvor contemporâneos. Reconheci um do cantor americano Andrae Crouch: "Em breve, muito em breve, vamos ver o Rei. Lá não haverá mais choro [...]. Lá não haverá mais morte". Ocorreu-me que, para quem está trancado numa cela de concreto com outras 49 pessoas por todas as horas do dia, exceto uma, e isso para o resto da vida, essas palavras contêm muito significado.

Ali ao lado, havia outro hino de louvor: "No chão, a vossos pés, ó Senhor, / Está o lugar mais alto". E outro: "Com certeza a presença do Senhor está nesse lugar... Posso sentir seu enorme poder e graça". Lembrei-me sobressaltado do que Joanna me dissera três anos antes: "Bem, é claro, Philip, que Deus já esteve presente na prisão. Eu só precisei torná-lo visível". Suas palavras haviam se tornado uma espécie de profecia, e eu agora via o cumprimento dela. Realmente ela e Julian haviam tornado Deus visível na Prisão Pollsmoor, e agora ex-integrantes de gangues vivem e oram juntos nesse lugar mais impróvel. Só mesmo adultos maduros conseguem aceitar um ministério num lugar como Pollsmoor e conseguem viver de forma que agrade a Deus num lugar assim.

P.S: Trechos retirados do Livro - Para que Serve Deus: Em Busca da Verdadeira Fé de Philip Yancey, Capítulo 6 - O grupo mais improvável, Palestra: Crescendo em Graça, páginas 162 e 163.
Postar um comentário