O Baile do Barça...



Barcelona e Santos fizeram o jogo de um só time.

Pontos a considerarmos:

Dos 11 titulares do Barcelona 9 são advindos das categorias de base;

Dos 11 titulares do Barcelona 8 são jogadores da seleção espanhola, um da seleção brasileira, um da seleção francesa e o outro o melhor jogador do mundo e o camisa 10 da seleção argentina;

O Barcelona se dá o luxo de não jogar dependente de um centroavante, e qualquer tentativa de qualquer comentarista em definir um plano tático do Barcelona será especulatória, e não levará a lugar algum. Só um pequeno exemplo é do "lateral-direito", o brasileiro Daniel Alves, qual é a função/posição dele no Barcelona? Lateral de fato, meia, ponta, centroavante, e por qual lado, direito ou esquerdo, ou ainda no meio?

Faz três anos que nenhuma equipe do mundo consegue ter mais posse de bola que o Barcelona, seria o Santos que conseguiria isso?

Parece um time de futsal multiplicado por inúmeros jogadores jogando futebol de campo.

Jogam muito com bola e sem ela.

O Barça reforça o seu time com a base, nos diga qual foi a última grande contratação do time Catalão, Fábregas? Um retorno esperado do bom filho que a casa torna.

Já o Santos que venceu a Libertadores já não era o mesmo que venceu a Copa do Brasil no ano anterior, com Robinho, Wesley, Alexsandro, André. Para piorar Elano caiu muito de produção, Léo recém voltado de contusão, Adriano fora por lesão, Henrique e Ibson não vingaram, e Arouca solitário para marcar Xavi, Messi, Iniesta, Thiago, Daniel Alves, Fábregas, e C&A, difícil não?!

O fato é que se algum time hoje na América pudesse trazer algum "problema" ao poderoso Barcelona, seria a La U - Universidade do Chile, mas que ainda assim não faria frente ao time Catalão.

Outro fator importante é que este Barcelona talvez seja o melhor e maior Barcelona da história, superior ao Barça de Evaristo de Macedo, do holandês Johan Cruijff, e dos brasileiros Romário, Ronaldo Nazário "fenômeno", Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho. Este Barcelona apesar de pouco modificado é melhor que aquele que venceu O Estudiantes por 1 x 0 com gol na prorrogação na final do mundial de 2009.

Este Barcelona é como o Santos de Pelé, o Flamengo de Zico, como as seleções brasileiras de 70 e 82, e a Holanda de 74 e 78.

Não é apenas uma questão de posse de bola, não é apenas toque de bola, não é apenas a base, não é apenas a evolução física, tática e técnica, comparar o Santos a este Barcelona é ilusão e perda de tempo. Prova disso é que no último clássico espanhol em Madri o Barcelona deu uma aula e um chocolate no Real por 3 x 1, e nós esperávamos mesmo que o Santos pudesse vencer?!

A única razão para acreditar na vitória do peixe é por se tratar de futebol, mas na lógica fria e racional o resultado todos sabíamos.

O baile do Barça se deu por estas razões e muitas outras que o dia a dia dos jogos por vir nos ensinarão.
3 comentários