"Nada é mais profundo do que uma pessoa com os olhos vidrados de culpa"



"Nada é mais profundo do que uma pessoa com os olhos vidrados de culpa."

A praga PC detesta a culpa. 

Uma das coisas mais comuns nos politicamente corretos é negar a culpa dizendo que é a sociedade que 'impõe' a culpa como forma de controle. 

A famosa culpa judaico-cristã.

Antes de tudo, a ignorância típica do politicamente correto salta aos olhos porque a culpa não é um fenômeno ocidental, e mesmo o darwinismo aponta a culpa (vergonha e mal-estar moral) como um dos centros afetivos da vida moral do bando de caçadores-coletores, célula máter ancestral de nossa vida social.

Nada é mais profundo do que uma pessoa com os olhos vidrados de culpa. 

Pessoas sem culpa são monstros morais. 

O discurso segundo o qual a culpa é uma forma pensada de controle dos mais fortes sobre os mais fracos (em que pese o fato de que a culpa pode mesmo ser manipulada, como tudo mais que é verdadeira na vida humana) é falso e indica antes de tudo uma mentalidade infantil, na medida em que se sentir culpado é um dos modos mais típico da consciência moral.

Em assuntos como esses, melhor do que a argumentação pura e simples é a experiência. 

Você, caro leitor, já fez mal a alguém? Alguém que não merecia? Se a resposta for não, você é um mentiroso."

Fonte: PONDÉ, Luiz Felipe. Guia politicamente incorreto da Filosofia: ensaio de ironia.São Paulo: Leya, 2012. pp.159-160.



Leia e ouça também ('Politicamente correto é censura fascista'; ouça Luiz Felipe Pondé): http://www1.folha.uol.com.br/livrariadafolha/1069148-politicamente-correto-e-censura-fascista-ouca-luiz-felipe-ponde.shtml
Postar um comentário