Simples Assim...



Vejo gente o tempo todo dizendo que dEUs é isso, é aquilo, é vento, é pássaro, é árvore, é tudo, que dEUs sou eu, e bléblé e bláblá como uma espécie de salada cósmica ou um empanturrado de misticismo supersticioso que beira a escravidão de si ao seu próprio dEUs.

Daí me deparo com palavras simples de um senhor de idade que aliás já não esta mais no mundo dos mortais, dizendo: "Porque seu amor jamais, jamais, jamais se baseia em nosso desempenho, jamais está condicionado ao nosso estado de espírito - se de entusiasmo ou depressão. O amor furioso de Deus não conhece nenhuma sombra de variação ou mudança. É digno de confiança. E sempre terno" ~ Brennan Manning

Meritocracia é ferramenta de avaliação em qualquer atividade da vida, exceto no amor. Quem se programa para amar, não ama, se engana e engana ao outro. Deus nos ama não pelo que possamos realizar ou pelas barganhas que tentamos fazer com ele. Ele nos ama, pois Ele é amor, é simples assim. Não há nada de especial ou de catastrófico em nós que O chame a atenção, ao não ser o simples fato dEle nos amar por Ele ser a personificação e expressão plena do amor. 

Pode parecer chocante, ultrapassado e qualquer outra "qualificação" que você queira dar, mas no meu Modus Vivendi Ele É um ser pessoal do qual nós podemos nos relacionar todos os dias, todas as horas, e que jamais nos deixará sozinhos, jamais nos abandonará, e que nos ama, nos faz nos sentirmos aceitos, e os pássaros, as árvores, os seres humanos e as maravilhas espalhados pelo universo são fruto do Seu amor. E mesmo nos momentos difíceis, nas circunstâncias mais adversas, nas perdas, nos desencontros e desilusões Ele tem cuidado de nós.

O que precisamos parar é com este besteirol de atribuir tudo a Ele o tempo todo, e aprendermos a nos responsabilizarmos por nossas escolhas e pelos caminhos que escolhemos caminhar. A vontade de Deus e o próprio Deus assim como Ele é composto por 4 dígitos, por 4 letras: AMOR! E este esta revelado, encarnado e vive entre nós na pessoa humana de Jesus.

João Vicente Ferreira Neto
Postar um comentário