"Eu tenho orgulho de ser quem eu sou"





"Eu tenho orgulho de ser quem eu sou"

O vídeo resume uma conversa recente que tive com um amigo.

Clodovil foi uma grande perda para nossa sociedade, alguém que estava para além da síndrome de homem macho ou homem gay.

Ele me fez lembrar e compará-lo ao padre holandês Henri Nouwen (padre e homossexual assumido).

Em alguns minutos conseguiu expressar muito a respeito do que penso sobre as "minorias", em momento algum negou seus instintos, desejos e a própria sexualidade, todavia se postou como um homem humano que sempre foi, sem a crise infantil de ser um macho alfa ou uma bicha louca.

Tocou na ferida ao dizer que não precisa provar nada a ninguém e que não levantava bandeira de movimento A ou B.

Em suma, quem tem a necessidade de ventilar aos quatro cantos que é uma coisa ou outra na verdade não sabe bem o que é, e o mais grave não sabe o que quer ser, para piorar?! Não sabe nem o que não quer ser!!!

A lição extraída é que antes de me preocupar se me aceitarão como sou, a questão é se eu me aceito como sou ou preciso do eterno consentimento alheio para me sentir aceito?!

Antes de tudo eu preciso me aceitar como ser humano, antes mesmo de ser homem, mulher, gay, índio, religioso, etc...

João Vicente Ferreira Neto
Postar um comentário