Violência em João Pessoa...




VIOLÊNCIA EM JOÃO PESSOA

Engraçado o povo, o mesmo que diz: "Rede Esgoto de Televisão" é o mesmo que baseado na reportagem da Globo chegou a constatação que vivemos na nona cidade mais perigosa do mundo.

Nossa João Pessoa é tão caótica, tão perigosa que não sairei mais para trabalhar, estudar, ir ao supermercado ou a praia.

Eita, mas se eu ficar em casa os bandidos vão vir aqui me pegar, afinal o comum são os assaltos, os homicídios, são 100 casos de assalto por segundo, tem mais assaltos em TODOS os bairros em uma quantidade vertiginosa como nunca antes na história deste país.

Gente, com o crescido de uma cidade, não precisamos de uma pesquisa divulgada em um programa por uma emissora para chegarmos a tal conclusão, um pouco de sociologia já é o suficiente para saber que uma das mazelas que acompanham o crescimento de uma cidade é a violência.

Com isto não estou defendendo as coisas como estão. Isto é apenas a constatação natural, com o crescimento coisas boas e más vem juntas.

E óbvio que a violência e a criminalidade aumentaram em João Pessoa, mas daí querer me convencer que aqui é o nono lugar mais VIOLENTO do mundo, especialmente se considerarmos que mais de 90% dos homicídios ou tentativas estão diretamente ligados ao tráfico de drogas, e a outra margem a crimes passionais.

Me desculpem, mas definitivamente você ou é ou tem fortes tendências de ser facilmente manipulado, e o mais grave, abdicada de algo precioso, sua capacidade de pensar, refletir e ponderar se as coisas são realmente como apresentadas.

Você é daqueles que postam uma foto pela manhã do domingo com a legenda: "eu moro no lugar onde as pessoas passam férias!"?

E no domingo a noite após a reportagem escreve nos comentários da foto postada pela manhã: "eu moro na terceira cidade mais violenta do Brasil e a nona no mundo, uma sensação de insegurança e medo constante".
Violência esta ocorrida inclusive na praia, pela manhã, quando você postava o que postou com a primeira legenda não é?

João Vicente Ferreira Neto
Postar um comentário