Política, Religião e Fé...




Este cristianismo hipócrita e disfarçado de piedade que na sua essencial é legalista e nada tem haver com o evangelho da graça, redenção e perdão de/em Cristo, tal cristianismo disseminado na mídia, na câmara e no Senado federal são oriundos do pragmatismo norte americano que usa a fé como receita de bolo: 4 passos para isso, 7 passos para aquilo, e assim vai.

Aqui se tornou massa de manobra. Usam o nome de Deus para manipular as consciências cauterizadas pelos seus falsos e discriminatórios ensinos.

Mas só enganam aos incultos e incautos. Aos frágeis na fé. Pois ajuntam riquezas para si, mas não enganam aquEle a que tudo e a todos vêem.

O protestantismo histórico e reformado, porém, não NEO PURITANO, tem seus princípios em Cristo e no evangelho que Ele nos ensina, evangelho que nos ensina que não nascemos prontos, mas que vamos nos fazendo todos os dias, que nos ensina que "não há caminhos prontos, o ir faz o caminho" (C.S.Lewis).

Os pseudos "representantes" da comunidade de fé no Brasil dentro da câmara e do Senado não conseguem dialogar com os que pensam diferente, e se portam diferente deles.

Os religiosos que atribuem ao socialismo ou ao capitalismo os problemas que fazem o Brasil sucumbir, não compreenderam sequer o sermão do monte.

Não é impondo a minha forma de pensar que irei transformar os que estão próximos a mim, muito menos ao mundo. E mais, não cabe a mim transformar quem quer que seja. Se amo a Cristo e tenho o evangelho como princípio orientador que me conduz no caminhar, entendo que só há um que ama, salva, perdoa e ensina a quem nEle crer a caminhar o caminho da vida, da paz e do amor.

Dá nojo assistir este embate entre PT e PSDB, mas dá mais ainda assistir gente usando o nome de Deus para defender coisas das quais Deus não faz parte.

André Bieler, Abraão Kuyper, Peter Berger, David Lyon, Francis A Schaffer, Jacques Ellul, Zigmunt Bauman, C.S. Lewis são autores que os cristãos e não cristãos, religiosos e não religiosos deveriam ler para tomarem ciência a respeito do pensamento sócio político dos protestantes, e de como por meio do evangelho tal pensamento é inclusivo, consegue dialogar com socialistas, capitalistas, liberais, conservadores, democratas, republicanos.

Como bem disse Ariovaldo Ramos: "o modelo a ser seguido é aquele ensinado por Cristo na mensagem da montanha/no sermão do monte, o do Reino de Deus".

Quando Marina Silva engavetou o projeto de lei do filho de Silas Malafaia que queria instituir a Bíblia como leitura obrigatória nas escolas públicas, Marina fazia ali a vontade de Deus e não a dela ou do homem, daí a razão de Silas dizer a respeito dela nas últimas eleições presidenciais que "pior que o ímpio é crente dissimulada". Mas não foi homem o suficiente, ou foi dissimulado o suficiente para se vender ao PSDB de José Serra.

Pedro Simon com todo seu conservadorismo ainda é uma referência de um bom parlamentar. A própria Marina, além do surpreendente Romário que tem feito deveras denúncias a respeito de temas importantes, Chico Alencar, Marcelo Freixo e Reguffe são outros. Aqui em João Pessoa Helton Rene faz um brilhante trabalho, e estes citados não necessariamente são evangélicos/protestantes ou religiosos, mas no mínimo exercem com dignidade seus mandatos!

Nem fascismo;
Nem comunismo;
Nem capitalismo;
Nem socialismo;
Nem mesmo cristianismo;
Mas como ensinou o Cristo, que o Reino de Deus seja proclamado!

João Vicente Ferreira Neto
Postar um comentário