O superior se apropria do inferior constantemente, a tênue distinção entre a verdade que liberta e lei que mata.



O superior se apropria do inferior constantemente, a tênue distinção entre a verdade que liberta e lei que mata.

Gente que carrega dentro de si uma ansiedade famigerada por se alimentar do outro, numa escala aonde o superior usa o inferior de tal modo, que a vaca que come o capim, gordura e o tem licença para fazer, e nós nos sentimos licenciados há muito tempo para nos apropriarmos daquelas coisas que da escala da criação tem valor inferior a nós, por isso a gente come.

Os mais generosos ervas, e os menos picanha, cupim e outras coisas.

Mas é uma apropriação constante do superior sobre o inferior.

E o resto inteiro da organização da vida indo das relações de sobrevivência básica a construção dos sistemas sociais, econômicos, relacionais, familiares em todos os níveis as hierarquias de apropriação se estabelecem aonde?

Ou pela via do poder, ou do saber, ou do dinheiro, ou de uma mágica, ou seja do que for. O que possui, o que falta ao outro se apropria dele.

Daí a gente percebe que sequer deixou de balbuciar as primeiras palavras, e por isso surge a necessidade de criarmos santos, alguém que viva uma realidade a qual projetamos, porque percebemos que estabelecemos uma padrão tão alto que jamais alcançaremos.

Assim isto nos remete a um processo, a um projeto de vida, de existência, e nos chama a algumas lições práticas na vida.

Uma prática se torna prática consistente só muito tempo de uma verdade ter se transformado em um valor no nosso coração.

Leva tempo entre o conhecimento de uma verdade e a sua totalização em nós.

Uma das grandes angústias da gente é que parece que todas as vezes que de algum modo a gente não tem mais como dizer que uma determinada verdade, um determinado valor nos penetrou, daí em diante nós caímos no nível da indesculpabilidade permanente pela sua transgressão e cometemos a pior blasfêmia transformamos uma verdade em lei.

E lei escraviza, verdade liberta.

Nenhuma verdade de Deus que ser lei, porque toda verdade de Deus transformada em lei gera o oposto daquilo que a verdade produz.

A gente conhece a verdade e ela nos liberta.

Transforme a verdade em lei e ela vai matar você para sempre.


[Adaptação de I Cor. 13 por Caio Fábio de Araújo Filho]
Postar um comentário