2016 não é 2013




2016 não é 2013

Proporcionalmente nosso time era mais competitivo e o adversário era bem mais inferior.

Hoje no primeiro tempo o Campinense foi ao ataque três vezes com 4 oportunidades fazendo dois gols e colocando duas bolas na trave, e nosso gol foi contra deles.

O quarteto Roger Gaúcho, Jussimar, Raul e Pit Bull é bem superior ao escalado por Itamar que foram Val, Marcinho, Carlinhos e Muller.

Não bastasse nós éramos os mandantes, nós que precisávamos vencer pelo placar mínimo que fosse e não ao contrário, então não custava jogar com Plínio de titular ao invés de Nildo, exceto se ele (Plínio) estivesse no DM.

Também podíamos ter João Paulo desde o início na vaga de Gedeil, e no ataque abrirmos Muller jogando na função de Carlinhos e Warley de 9 ou ao menos ir fazendo estas alterações no decorrer do jogo.

Recife muito aquém do que joga, já foi mal contra o Cuiabá.

Respeito a história de Genivaldo, mas não sinto saudades dele, todavia Michel Alves deixou claro que aos 34 anos não é o goleiro que veio para substituir o paredão com eficácia e passar confiança ao torcedor, o 3 gol podemos colocar uns 70% na conta dele.

Djavan é um grata surpresa. Apesar dos erros do time hoje, acho que ele fez uma boa partida. Erra poucos passes, faz o simples e desarma muito.

Com a chegada do meia que veio do Brusque e do atacante Rodrigo Silva tenho uma certa animosidade em relação a série c, todavia quanto ao campeonato estadual, definitivamente 2016 não é 2013, e não se trata de torcer contra, mas de ser realista, já pensaram se Rodrigão estivesse em campo hoje?!

João Vicente Ferreira Neto
Postar um comentário